Filmes e documentários imperdíveis que não estão no catálogo brasileiro da Netflix
30 de junho de 2018
Samsung Pay agora funciona em pagamentos online
30 de junho de 2018
Exibir tudo

Como a internet e as redes sociais afetam os namoros e relacionamentos




Se a internet revolucionou o mundo, com as relações não seria diferente. Namorar ou paquerar na era digital exige uma etiqueta própria, que envolve muitas facilidades, mas também algumas ciladas

Ana Luiza Vale, 21, e Miguel Láper, 24, estão há mais de três anos desafiando a distância com muita disciplina e dedicação. Ela, brasiliense, resolveu deixar o coração pelas terras mineiras e, desde então, o casal tenta se acostumar com a rotina de idas e vindas e conversas pelas redes sociais “O início é sempre mais complicado. Para mim, era tudo muito novo. Tivemos que nos acostumar com a saudade e aprender a conversar virtualmente”, diz Ana. Ela e o namorado costumam conversar várias vezes ao dia pelo WhatsApp e por vídeo.

Para Ana, as redes sociais são essenciais e ajudam a manter um relacionamento saudável. “Precisamos de contato, não me imagino namorando como antigamente, à base de cartas, por exemplo. As redes sociais acabam sendo a forma mais prática e barata de mantermos contato.” A estudante acredita que, com a internet, é possível participar da rotina do namorado, mesmo quando os dois estão longe um do outro.

A distância não impede o casal de dar aquela monitorada no que o outro comenta, curte ou compartilha, mas Ana Luiza garante que os dois não têm esse costume. “É realmente mais fácil para sabermos o que o outro faz, com quem fala ou onde está. Mas acho que, em um namoro a distância, temos que nos desprender um pouco dessas coisas. Não faz sentido vigiar”, afirma.

O contato com as redes sociais, no entanto, não anula a necessidade de encontros sempre que possível. O casal se vê com certa frequência e, para Ana, é isso que ajuda a manter o relacionamento: a esperança e a expectativa do encontro. “Sempre que temos um tempinho nos nossos dias corridos, tentamos ficar juntos. Gostamos de estar inclusos no dia a dia um do outro”, conta.

A internet também teve um papel crucial no relacionamento de Francine Verzeletti e o empresário Ryan Clark. Das conversas despretensiosas em um bate-papo on-line há sete anos ao pedido de casamento na Escócia, em 2015, o casal tem na rede quase um “terceiro elemento” do casal, como define Francine. Após três meses de conversa, em 2010, Ryan embarcou em um avião rumo ao Brasil. “Ele passou quatro dias aqui, conheceu meus pais e tudo”, relembra a dentista.

Antes de voltar para casa, Ryan presenteou a namorada com um buquê de flores e uma carta dentro de uma garrafa, prometendo que voltariam a se encontrar em breve. O rapaz voltaria ao Brasil mais duas vezes naquele ano, e o país passaria a fazer parte de sua programação permanente de férias. O namoro a distância durou seis anos, sempre com a internet e suas ferramentas como válvula de escape para a saudade. Em 2013, Francine foi pela primeira vez à Escócia.

Quando completaram cinco anos de namoro, veio o pedido de casamento, nos arredores do Castelo de Dumbarton, na Escócia. “Ele chamou a família dele, a minha também foi. Quando chegamos no topo do castelo, escutamos um barulho. O primo dele apontou um avião no céu e, quando olhei, o avião estava com uma faixa escrita ‘Fran, will you marry me?’,” relembra. Nesse momento, Ryan já esperava a resposta da namorada de joelhos, com a aliança em mãos.

Mesmo noivos, os dois ainda precisam viver a mais de 9 mil quilômetros de distância por um ano, até que o casamento seja oficializado e o visto de Francine, atualizado. “No início, eu via a distância como algo negativo, mas eu era muito nova, exagerava em tudo”, pondera. Todos os dias, a rotina é a mesma: em um horário combinado, os dois precisavam estar em frente ao computador para conversar. “O smartphone, com certeza, foi uma invenção muito boa para o nosso relacionamento. Ele só existe graças à internet”, completa Francine. “Você vai aprendendo a ver a distância como algo que te faz crescer no relacionamento. Ela te obriga a construir uma relação baseada em confiança, paciência. Se você já começa dessa forma, é muito difícil dar errado.”

Fonte: Portal Relacionamentos




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *